Conselho promove blitz nas praias da Região dos Lagos

O Conselho Regional de Educação Física (CREF1) realizou uma blitz nas praias da Região dos Lagos neste mês. Durante a ação, os fiscais flagraram 4 exercícios ilegais da profissão (São Pedro da Aldeia, Araruama, Macaé e Rio das Ostras), além de 16 locais sem Responsável Técnico, 15 estabelecimentos sem registro de Pessoa Jurídica, 5 salas desprovidas de profissional e 3 profissionais atuando fora da área habilitação.

Denominada Operação Lost, a ação tem o objetivo de fiscalizar o exercício da profissão e assegurar a presença de profissionais habilitados na orientação e acompanhamento das atividades físicas promovidas na orla. Ela já percorreu os municípios de Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Arraial do Cabo, Búzios, Rio das Ostras e Macaé.

Acesse o balanço da fiscalização do CREF1 em 2017
Clique aqui e denuncie o exercício ilegal da profissão

Segundo a supervisora de Fiscalização do CREF1, Giovanna Pereira, as ações da fiscalização tem por objetivo defender a sociedade e zelar pela qualidade dos serviços profissionais oferecidos, através da habilitação, regulação e fiscalização do exercício profissional de Educação Física. “Ter a presença do profissional de educação física em locais onde se pratica as mais variadas formas de atividade física, como academias, estúdios, clubes, entre outros, além de obrigatória, é fundamental, pois ele irá orientar de forma segura e eficiente a prática de exercícios”.

Fiscais flagram exercício ilegal em Rio das Ostras

A operação foi realizada pela segunda vez na Região dos Lagos devido ao visível aumento de atividades realizadas nesses locais ao longo do verão. O retorno da Lost para à região partiu de uma demanda das comissões locais de Educação Física. Para Giovanna, “esses grupos ajudam bastante nesse processo de legalização e normatização da atuação profissional, fiscalizando e orientando os espaços e os profissionais sobre a maneira correta de atuar”.

Na primeira edição da operação, em Lagos, foram flagrados 5 casos de exercício ilegal, 10 salas desprovidas de profissional, 9 estabelecimentos sem registro de Pessoa Jurídica e sem Responsável Técnico e 2 profissionais fora da área de habilitação.

Além das operações nas praias, o Conselho continua a fiscalizar as academias, os clubes, os estúdios e os centro esportivos durante esse período. Somente em 2017, 38 falsos profissionais foram flagrados orientando exercícios físicos na Baixada Litorânea, que compreende a Bacia de São João e Região dos Lagos.