Exercício físico é crucial para a aprendizagem

A inserção de exercícios físicos em sala de aula, além das aulas de Educação Física, segundo estudos, é um complemento que pode melhorar o processo de aprendizagem dos alunos. De acordo com a professora de Educação Física, Marina Guedes, pequenas pausas ao longo de um período grande de concentração nos estudos, além de ativar a circulação de todos os músculos do corpo, favorecem a oxigenação e evitam posturas viciosas.

“As pessoas têm um limite de tempo em que permanecem concentradas em alguma atividade mental, entretanto, continuam em uma determinada posição, como sentada por muito tempo, o que gera desconforto e, consequentemente, a diminuição da atenção e concentração necessárias para qualquer estudo. Essas pausas para a prática de atividades físicas são ainda mais importantes quando tratamos da educação infantil e dos primeiros anos do ensino fundamental”, explicou.

Diversas pesquisas afirmam que o exercício físico regular em idade escolar ajuda na concentração e fixação do conteúdo, desenvolve melhor o raciocínio lógico e a memória, proporciona reflexos mais apurados e maior foco na realização de atividades escolares ou acadêmicas. A profissional explica que entre 4 e 8 anos de idade a criança é naturalmente ativa e precisa se movimentar para desenvolver suas capacidades cinestésicas e proprioceptivas, fundamentais para o desempenho escolar.

“Essas habilidades incluem conhecimento do próprio corpo, noção de tempo e espaço, percepção de profundidade, equilíbrio e lateralidade. A prática motora promove o desenvolvimento da força e a capacidade de ajustá-la, como, por exemplo, para segurar um lápis ou empurrar uma mesa. Inclui ainda os conceitos de pluralidade e singularidade tão necessários para compreensão de conceitos matemáticos e a capacidade de se ajustar no mundo”. Professora Marina afirmou ainda que, dessa forma, os exercícios físicos além de promoverem a manutenção da postura e melhorar a circulação sanguínea, complementam sim o processo de aprendizagem dos alunos”, afirmou.

Conheça outras pesquisas na área da Educação Física

Neurocientistas da Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, apresentaram algumas pesquisas mostrando que alunos que se saem bem nos exercícios físicos também têm maior sucesso nas atividades escolares. Segundo o estudo, crianças e adolescentes que praticam esportes com frequência têm desempenho 20% superior aos alunos sedentários.

A explicação é simples: quando a pessoa se exercita, a produção de sinapses neurais aumenta. Ou seja, a prática de exercícios físicos tem o poder de desenvolver células cerebrais, criando novas conexões interneurais, que mantém a mente jovem e ativa.

O estudo “Estimulação motora, função executiva e atenção” destaca a importância da Educação Física no ensino fundamental como meio efetivo de auxílio para as aprendizagens motoras e cognitivas. Nele, 80 crianças de 6 a 10 anos foram divididas em dois grupos: um que não participou da intervenção, e um grupo experimental, que realizou aulas de Educação Física escolar, duas vezes na semana com duração de 50 minutos, durante 7 meses. A conclusão do estudo mostrou que o grupo experimental melhorou, além do aspecto motor, o desempenho nos testes de função executiva e atenção seletiva, tornando o raciocínio mais rápido.

Segundo prof. Marina Guedes, as vivências motoras incluem jogos, ginásticas, danças e uma série de outras atividades coletivas onde há a necessidade de se desenvolver valores importantes como a ética, confiança, parceria, respeito mútuo e cidadania. “As atividades coletivas e cooperativas, quando bem orientadas pelo profissional de Educação Física, favorecem a autoestima, fortalece o vínculo com os demais colegas, socializa e amadurece emocionalmente a criança desenvolvendo uma conduta de solidariedade e empatia que serão levados por toda a vida. Todas essas conquistas são fundamentais para o seu desenvolvimento psíquico de forma saudável e plena”.

A prática da atividade física não deve ficar restrita apenas ao ambiente escolar. Cabe aos pais a busca de uma modalidade de esporte para a criança praticar desde cedo, pois além de todos os benefícios citados, ainda ajuda no combate ao sedentarismo que cresceu muito com os avanços tecnológicos. Também é papel dos pais participar, assistir, incentivar, motivar e ensinar aos pequenos que a atividade física é muito mais do que competição, saúde e bem-estar.

Com informações de Lilian Martins, Gazeta do Povo