Pesquisadoras estudam os benefícios do exercício físico para a neuroplasticidade

Um dos pontos importantes quando se pensa em envelhecer com saúde, está relacionado à pratica de exercícios físicos. Pensando nisso, a Profa. Dra. Alessandra Camillo da Silveira Castelo Branco, e a estudante Márcia Cardoso Ferreira Guimarães, do curso de licenciatura em Educação Física do centro Universitário Santo Agostinho, desenvolveram um estudo sobre a “Neuroplasticidade induzida pelo exercício físico”.

A pesquisa teve como objetivo compreender como a literatura especializada relaciona a realização de exercícios físicos com a melhoria da plasticidade neuronal.

Neuroplasticidade ou plasticidade neuronal se refere à capacidade do cérebro em se adaptar a mudanças por meio do sistema nervoso, através da reorganização de neurônios e circuitos neurais, que se moldam a níveis estruturais em decorrência de aprendizagem, vivências, treinos. A neuroplasticidade permite que os neurônios se regenerem e que sejam criadas conexões sinápticas – meios de comunicação entre os neurônios.

A escolha do tema partiu da curiosidade de saber quais os benefícios do exercício físico para os idosos no combate de doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer; a depressão, o mal de Parkinson, entre outros.

Como conclusão, o documento indica que o exercício físico não melhora somente o condicionamento muscular, motor, a respiração, mas também as funções cerebrais e cognitivas.

Leia o estudo na íntegra no site
Fonte Unifsa