Praticar exercício na infância pode prevenir a obesidade adulta

Os problemas com o excesso de peso estão além da questão estética, pois acarretam uma série de complicações para a saúde, como problemas cardiovasculares, hipertensão e diabetes. Para conscientizar sobre esse mal, o dia 11 de outubro foi escolhido como o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade.

Combater e prevenir são ações urgentes diante de um problema que vem adquirindo proporções epidêmicas. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) lançam um alerta sobre a importância da prática da atividade física desde a infância como forma de estimular hábitos saudáveis. Estimativas do órgão apontam que 2,3 bilhões de adultos terão problemas com sobrepeso em 2025, um aumento de 9% comparado à realidade atual.

Atualmente, segundo dados da Associação Brasileira de Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), dos 55,7% da população brasileira acima do peso, 15% são crianças, e o sudeste fica em primeiro na região com mais crianças obesas no Brasil: cerca de 38,8% dos jovens de 5 à 9 anos. Em linhas gerais, segundo dados da Vigitel, a taxa de obesidade no país passou de 11,8% para 19,8%, entre 2006 e 2018, o que coloca, de acordo com os pesquisadores, mais da metade da população nessa condição.

>acesse outras pesquisas

Outro estudo recente, realizado pelo Imperial College, de Londres (Inglaterra), em parceria com a OMS, indica que a obesidade acomete 9,4% das garotas e 12,7% dos garotos brasileiros. Essa pesquisa global comparou informações sobre o peso de mais de 130 milhões de pessoas, em 200 países.

A realidade é alarmante é pode se complicar a medida que a prática de exercícios vem sendo substituída pelo sofá e pelo controle remoto.  “É importante lembrar que, para as crianças, os exercícios devem ser lúdicos. Quando se é pequeno, é difícil se interessar por algo que pareça uma obrigação ou que não seja divertido. Por isso, um dos segredos da atividade física para crianças é transformar tudo em uma grande brincadeira e, assim, deixar na criança sempre aquela vontade de voltar”, ressalta o profissional de Educação Física Flávio Leal.

Para além do combate ao sedentarismo e à obesidade, dar início a uma vida saudável introduzindo algum tipo de atividade física no período do desenvolvimento das capacidades físicas, motoras e sociais é de suma importância para o desenvolvimento de músculos e articulações mais fortes e ativação do sistema cardiocirculatório, além de promover a interação social, evitando problemas como o bullying e o isolamento, refletindo-se na melhora a autoestima.