Academias como unidades de saúde. Mas o que isso significa?

Recentemente o CREF1 entregou diretamente ao Ministro da Saúde Eduardo Pazuello um ofício solicitando que a prescrição de exercício e atividade física sejam ligadas ao Ministério da Saúde. Onde uma das principais medidas que aconteceriam neste processo de transição seria a consideração das academias como unidade de saúde.

Mas o que isso significa? Quais seriam as mudanças e vantagens para a Educação Física?

Vamos analisar em tópicos o que isso pode mudar na vida do profissional e dos gestores de academias.

Mas antes disso, primeiramente, é necessário entender que os ambientes de academias sendo consideradas oficialmente como unidades de saúde nos dá o devido crédito de um espaço responsável por promover a saúde.

Sendo assim, essa ação mostra de forma justa e honrada o verdadeiro lugar do profissional de Educação Física. Além de trazer o reconhecido em vários aspectos da categoria, incluindo o financeiro e o social.

Vantagens para profissionais

Carregar o símbolo de estar ligado à saúde potencializa a importância e a segurança de se ter um profissional de Educação Física na vida das pessoas diante de tantos benefícios que a atuação desse profissional pode promover a sociedade como um todo. 

Dessa forma, pessoas que apresentam problemas como hipertensão, diabetes, obesidade entre outros poderão procurar as unidades de saúde como academias no intuito de prevenir e recuperar todos os males que acometem a saúde da população.

Essa possibilidade fará com que o profissional de Educação Física seja incluído no campo das equipes de profissões da área médica. Ou seja, cada vez mais inserido em diversos processos de recuperação e prevenção de doenças em pessoas de todo o país.

A classe médica cada vez mais orienta a prática de exercício físico com um profissional especializado. E através desse novo cenário, essa atitude ampliará ainda mais, pois com a possibilidade desse trabalho em conjunto o efeito desse procedimento irá criar um impacto muito positivo na saúde de toda a população. Até mesmo desocupado leitos hospitalares e procedimentos de emergência em função de problemas de saúde evitados através da atuação desses profissionais.

Maior valorização profissional e financeira nos cuidados da saúde da população, maior reconhecimento na essencialidade da orientação de atividade física orientada por profissionais de Educação Física.

Além do maior reconhecimento diante das evidências de que a atuação dos profissionais de Educação Física pode causar no combate e na prevenção de diversas doenças

Carregar a marca de ser um ambiente de promoção de saúde potencializará a importância e a relevância do profissional de Educação Física na vida das pessoas

Mais espaços, concursos e oportunidades de trabalho em áreas específicas nos ambientes de clínicas, home care, hospitais e similares.


A união dessas possibilidades oferece ao profissional de Educação Física mais valorização, reconhecimento, incentivos, possibilidade de parcerias e benefícios. Além de também trazer soluções para alguns dos problemas crônicos do sistema de saúde do país que na maioria das vezes foca na medicina curativa e não preventiva e de promoçãod e saúde a qual dominamos.

É um momento de redefinição e fortalecimento de valores. Lutar pelo o que realmente importa. Quando a Educação Física se reafirma como profissão da saúde o estereótipo de estética se esvai e então consolidamos a nossa importância profissional, pois o nosso diferencial é ser essencial.