A atividade física como aliada na prevenção do câncer de próstata

O Novembro Azul, mês do combate ao câncer de próstata, é um movimento mundial que surgiu na Austrália, em 2003 (Movember) aproveitando as comemorações do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, realizado no dia 17 de novembro que reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata. Os cuidados com a sua saúde são debatidos ainda mais nesse dia.

A Johns Hopkins Medicine, localizada em Baltimore, EUA, desenvolveu novas pesquisas afirmando o poder da atividade física no combate ao câncer de próstata. Segundo o urologista Michael Hiroshi, esportistas que são regulares no ritmo treinos, têm menor chance de desenvolver câncer de próstata.

Já em outra pesquisa verificou-se que, o ganho de peso em homens que já passaram por tratamento, pode aumentar o risco da doença voltar a acometê-los. A obesidade pode interferir nas ferramentas de rastreamento do câncer de próstata, tornando mais difícil detectar com maior eficiência essa doença precocemente.

Um total de 548 pacientes morreram durante o estudo, 1/5 deles como resultado direto do diagnóstico de câncer de próstata. Mas a equipe de pesquisa constatou que quanto mais ativos eram os pacientes, quanto mais horas os pacientes se dedicavam a exercícios vigorosos, melhores eram os resultados em termos de sobrevivência.

O profissional de Educação Física Flávio Leal explica que a prática de atividade física regular, orientada por um profissional de Educação Física, é importante pois atua no microambiente tumoral. “A Atividade física irá fazer uma reprogramação metabólica. Células de câncer necessitam de ATP (Adenosina Trifosfato) para suportar suas demandas energéticas de hiperproliferação. Em função disso, seu metabolismo torna-se mais glicolítico. O exercício físico diminui as concentrações de lactato no Micro tumor ambiental, evitando a formação do tumor”.